Antropologia Educacional

AS ESCOLAS INDÍGENAS DAS ALDEIAS DE CUMURUXATIBA (BA) E A RECONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE CULTURAL PATAXÓ

As análises, descrições, considerações a longo deste estudo foram motivadas pela pretensão de compreender como vivem os Pataxó de Cumuruxatiba, que sofreram sérias mudanças e transformações sociais, perdas significativas da cultura indígena e do território ao longo desses anos, e as soluções encontradas ante aos novos desafios, principalmente a retomada do território. Enfim, as estratégias e alternativas que estão sendo construídas coletivamente em prol da reconstrução da sua identidade cultural. Ao compreender o universo cultural dos Pataxó nos detivemos na realidade da educação indígena que ocorre nas aldeias Tibá, Pequi, Alegria Nova e Cahí, instaladas na região sul do Parque Nacional do Descobrimento, pertencentes ao município do Prado (BA). Para a abordagem dessa temática foram consideradas as questões: (i) Que conhecimento os professores têm acerca da Educação Indígena, suas leias e propostas? (ii) Que significados são atribuídos à escola pelos docentes, discentes e lideranças das comunidades Pataxó? (iv) Em que condições a escola pode significar a garantia de construção de uma educação diferenciada, específica, intercultural e bilíngue com vistas ao fortalecimento da identidade desse grupo? Ao analisar as escolas indígenas dos Pataxó nas aldeias de Cumuruxatiba, depreendemos que a escola é vista como necessidade, e esta foi solicitada por esse grupos por ser compreendida como uma das formas de se construir a identidade de cada aluno Pataxó e de prepara-lo para viver essa cultura que é ressignificada, e assim, professores e lideranças se empenham para que, de fato, isso ocorra.

Tipo de Trabalho: 
Dissertação
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000083
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2016
Nº Certificado: 
20160422.005284
Autor(es): 
Subscrever Antropologia Educacional