Antropologia Rural

AS "ESTRAMBÓTICAS" AVENTURAS DE CORNÉLIO PIRES E A CULTURA CAIPIRA NO CENÁRIO HEGEMÔNICO DA CULTURA BRASILEIRA

A presente pesquisa refere-se à produção artística e cultural de Cornélio Pires (1884-1958) e ao contexto histórico do país a partir dos efeitos da colonização no campo socioeconômico e cultural, da presença de diferentes etnias e suas inter-relações que contribuíram para a formação da cultura nacional e regional paulista, a caipira.
Essa contextualização é relevante em função dos estigmas atribuídos ao caipira em vista da “pobreza” de São Paulo até fins do século XIX, comparado a outras localidades nacionais e o reverso dessas concepções distorcidas com a retomada da cultura popular por parte de intelectuais e artistas por meio de movimentos como o Regionalismo e o Modernismo, na busca de uma possível identidade nacional.
As justificativas dessas questões referem-se à tensão histórica que existe entre cultura popular e cultura erudita e na mediação dessas duas concepções, a contribuição do riso, do humor como forma de suavizar a comunicação e inserção do popular no espaço hegemônico da sociedade.
Assim fez Cornélio Pires, com seu estilo voltado para a temática rural acrescido do humor em sua produção, adentrando espaços hegemônicos e possibilitando a comunicação entre os antagonismos presentes em nossa sociedade como: rural e urbano, tradição e modernidade, popular e erudito.

Tipo de Trabalho: 
Tese
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000067
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2015
Nº Certificado: 
20141226.003653
Subscrever Antropologia Rural