Ciências Humanas

EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES: UMA ANÁLISE DIAGNÓSTICA

O presente trabalho buscou realizar um diagnóstico das concepções, práticas e dificuldades encontradas pela comunidade intra e extraescolar na promoção da educação ambiental e gestão dos resíduos sólidos no município de Tavares, PB – Brasil. O campo de pesquisa compreendeu duas escolas públicas, das quais foram analisados os Projetos Políticos Pedagógicos – PPP, além de registros das atividades de EA desenvolvidas. Docentes, gestores e alunos responderam a questionários estruturados no intuito de levantar o perfil dos entrevistados, além de concepções, práticas e dificuldades encontradas ao tema abordado. Verificou-se que apesar do tema Educação Ambiental ter sido muito discutido, insuficientes ações foram realizadas diante a necessidade urgente de sua implantação efetiva no sistema educacional brasileiro. Observou-se que, de maneira geral existe a necessidade de uma revisão no planejamento das atividades educacionais, nas quais deve-se dar maior ênfase na EA, fazendo associação da teoria com a prática. Constatou-se interdisciplinaridade, mas a abordagem do tema é superficial, restrita e até mesmo ingênua. Foram observadas falhas no processo educacional onde deveria haver maior sensibilização da percepção, da conscientização e das práticas sobre a EA no cotidiano tanto da escola como da comunidade, objetivando ações adequadas quanto a problemática ambiental, buscando soluções que formem verdadeiros cidadãos conscientes, sem deixar de considerar as realidades sociais, econômicas e culturais da cidade.

 

Tipo de Trabalho: 
Dissertação
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000110
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170817.006061
Área do Conhecimento: 

EDUCAÇÃO INCLUSIVA: ABRANGENDO OS PROCESSOS INCLUSIVOS POR MEIO DE UMA VIVÊNCIA FORMADORA NA SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS.

Discutimos neste artigo os processos inclusivos de aluno/as com necessidades educacionais especiais, atendidos/as na Sala de Recursos Multifuncionais de uma escola da rede pública estadual de Juara/MT, instituição parceira nas ações do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid). Dentre as inúmeras atividades desenvolvidas no Pibid, nosso olhar volta-se para compreender como a educação inclusiva é trabalhada no contexto educacional da Sala de Recursos Multifuncionais de uma escola pública que oferta o ensino fundamental. Para a tessitura deste texto, reportamos aos seguintes autores: Ramos (2012), Laplane (2004), Lei Complementar 49/98 Portaria 305/12/GS/SEDUC/MT (1998) como também as Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica/ Secretaria de Educação Especial (2001). Para alcançar os objetivos propostos, realizamos entrevista semiestruturada com a professora regente da Sala de Recursos Multifuncionais, como subsídios para entender como se dá o processo ensino e aprendizagem dos/as alunos/as que são atendidas/os nesse espaço. Aliada a este instrumento, realizamos semanalmente sessões de observação participante das ações pedagógicas desenvolvidas no contexto da Sala de Recursos Multifuncionais. A análise do conjunto de dados da pesquisa possibilita asseverar que mesmo com as dificuldades que os profissionais da escola enfrentam, os processos inclusivos são foco da escola, todavia há a necessidade de investimentos na formação continuada dos docentes que atuam na sala comum, visto que os processos inclusivos são ações e desafios que toda comunidade escolar deve coletivamente assumir. 

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000110
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170817.006058

BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONCEPÇÕES, PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E OS DESAFIOS EM ANÁLISE

O presente artigo tem por objetivo analisar como a brincadeira é entendida e contemplada nos planejamentos e práticas pedagógicas diárias das professoras que trabalham com a Educação Infantil. A pesquisa foi desenvolvida em uma creche municipal na cidade de Juara estado de Mato Grosso, em duas turmas de maternal II, uma no período matutino e outra no período vespertino, no período de uma semana em cada turma. O problema da proposta de pesquisa questiona as concepções das professoras referentes às brincadeiras trabalhadas no contexto da creche pesquisada. Para procurar essa resposta, optamos por realizar uma pesquisa qualitativa, pela observação em sala e entrevista semiestruturada. O conjunto dos dados da pesquisa aponta que as professoras compreende a importância as brincadeiras e as utilizam nas suas práticas pedagógicas, que é visível que as crianças aprendem brincando. 

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000110
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170817.006057
Área do Conhecimento: 

TÉCNICAS DIDÁTICO-PEDAGÓGICAS DE ENSINO-APRENDIZAGEM: REVISÃO DE LITERATURA

Definir quais as melhores ou mais eficazes técnicas para a execução do conteúdo do programa de ensino é uma tarefa inerente e desafiadora a todo docente e em qualquer grau de ensino. O estudo objetivou apresentar uma revisão de literatura contextualizada abordando as principais técnicas didático-pedagógicas que favorecem o ensino-aprendizagem no âmbito da educação superior. A pesquisa exploratória é de cunho básico qualitativo, encontra-se no campo do método dialético e utiliza-se da pesquisa bibliográfica para alcance do objetivo proposto. Ao consultar literaturas da área da pedagogia/educação têm-se como principais técnicas de ensino as seguintes: aulas expositivas, estudo de texto, estudo dirigido, seminário e estudo do meio.

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000110
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170803.006037
Área do Conhecimento: 

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA ESCOLA DA PENITENCIÁRIA REGIONAL DOM ABEL ALONSO NÚÑEZ, BOM JESUS, PIAUÍ

A Escola da Penitenciária Regional Dom Abel Alonso Núñez de Bom Jesus, localizada na cidade de Bom Jesus, Estado do Piauí, Brasil atualmente conta com 25 (vinte e cinco) detentos, os reeducandos freqüentam o Programa de Educação de Jovens e Adultos – EJA que funciona em três etapas: Primeira Etapa (1ª e 2ª Séries), Segunda Etapa (3ª e 4ª Séries) e Terceira Etapa (5ª e 6ª Séries).

As disciplinas ministradas todas são da Educação de Jovens e Adultos - EJA: Matemática, Geografia, História, Inglês, Português, Relações Humanas, Ensino Religioso, Artes (artesanato), sendo que as disciplinas de História e Geografia estão voltadas para a realidade local.

A disciplina Relações Humanas trabalha a parte social, a vida após a saída da Penitenciária, regras de comportamento e de convivência social.

A disciplina de português procura através do estimulo a leitura de livros, revistas e jornais despertar e incentivar o gosto pela leitura.

O horário das aulas da Escola da Penitenciária ocorre no turno da manhã entre as 08h00min e às 11h30min de segunda a sexta-feira.

Constatou-se pelos dados do Relatório do Sistema de Informações Penitenciário da Unidade de Prisional de Bom Jesus - INFOPEN (outubro de 2007) que dos 85 (oitenta e cinco) detentos recolhidos na Penitenciária Regional de Bom Jesus 46% dos detentos são alfabetizados, enquanto que 32% são analfabetos, 19% concluíram o ensino médio e somente 3% possuem o ensino superior incompleto.

Utilizou-se a técnica de enquête através de instrumento questionários aplicados aos 25 (vinte e cinco) detentos (reeducandos) que freqüentam a Escola da Penitenciária Regional de Bom Jesus, com os 04 (quatro) professores da escola e com o Gerente da Penitenciária.

 O resultado dos questionários aplicados com os reeducandos que freqüentam a Escola da Penitenciária demonstram que para 68% dos detentos consideram satisfatório e de qualidade o processo-ensino aprendizagem da Escola da Penitenciária de Bom Jesus, para 20% considera que deve ser melhorado o processo ensino-aprendizagem e uma pequena parcela 12% não soube opinar, pelas porcentagens obtidas pode-se afirmar que é cumprido o estandar esperado que é de 60% conforme o quadro de parâmetros de qualidade.

No critério processo ensino-aprendizagem voltado para a realidade do detento, para 48% dos detentos que freqüentam a Escola da Penitenciária Regional de Bom Jesus o processo ensino-aprendizagem é voltado para a realidade do detento, para 32% o processo ensino-aprendizagem não é voltado para a realidade do detento e 20% dos detentos que freqüentam a Escola não souberam opinar, pelas porcentagens acima descritas pode-se afirmar que não é cumprido o estandar esperado no quadro de parâmetros de qualidade que é de 60%.

 O critério carga horária foi avaliado e para 65% dos detentos que freqüentam a Escola da Penitenciária a carga horária é suficiente para ministrar todos os conteúdos ao longo do ano, para 25% dos detentos a carga horária é insuficiente para ministrar todos os conteúdos ao longo do ano e 10% não souberam responder ou não sabem avaliar, pelas porcentagens obtidas pode-se afirmar que é cumprido o estandar esperado no quadro de parâmetros de qualidade que é de 60%.

Questionado aos detentos o que poderia ser feito para melhorar o processo ensino-aprendizagem para 37% dos detentos que freqüentam a Escola da Penitenciária o que pode ser feito para melhorar o processo ensino-aprendizagem é a melhoria no relacionamento dos agentes penitenciários com os detentos reeducandos que freqüentam a escola, para 25% o ensino ministrado deve ser voltado para a realidade carcerária do detento, para 21% a escola deve ter melhores equipamentos e material didático, 13% entende que deve ser aumentada a carga horária para melhorar o processo ensino-aprendizagem e 4% não souberam responder.

Pela enquête realizada e com base nos questionários, gráficos, levantamentos e analise dos resultados ficou comprovado que o processo ensino-aprendizagem é de qualidade e satisfaz aos detentos (reeducandos), embora deva ocorrer uma busca incessante para que cada vez mais os conteúdos programáticos estejam de acordo com a realidade prisional dos detentos que freqüentam a escola.

A carga horária é suficiente, mas devido a problemas de gerenciamento dos deslocamentos dos detentos para a escola, falta de cumprimentos dos horários de funcionamento da escola, falta de comunicação e de boa vontade dos agentes penitenciários ocorre um prejuízo que reflete prejudicialmente na exposição dos conteúdos programáticos ao longo dos semestres e ano letivo.

Percebe-se pelos relatórios carcerários no arquivo da Unidade Prisional e junto as Coordenações e Gerência que os detentos que freqüentam a Escola têm um comportamento e uma conduta carcerária boa, são reeducandos mais calmos, não se envolvem em confusões, brigas ou agressões.

Levantamento feito junto a Coordenação Administrativa, Coordenação de Relações Humanas e junto aos professores se pode comprovar que devido às constantes entradas e saídas de detentos ocorre um prejuízo no andamento do processo ensino-aprendizagem da Escola da Penitenciária, quando o aluno vai se adaptando ao processo educacional chega o mandado de soltura e a continuidade do processo se interrompe.

O ensino é de qualidade e satisfaz os detentos, embora se constate a necessidade de cada vez mais se adaptar o processo ensino-aprendizagem a realidade prisional do detento fazendo com que o ensino da escola aborde o seu contexto e a sua realidade.

O processo ensino-aprendizagem e a carga horária comparados com as demais escolas do EJA da Rede Estadual de Ensino de Bom Jesus e com as demais escolas das Penitenciárias do Estado do Piauí são satisfatórios e de qualidade contribuindo para recuperar os detentos para a vida após a prisão.

A carga horária deve ser cumprida rigorosamente para que todos os conteúdos programáticos possam ser ministrados ao longo dos semestres e ao final do ano letivo. 

O processo ensino-aprendizagem pode ser melhorado através de parcerias com órgãos e instituições locais, implantação de projetos de humanização para melhorar o relacionamento dos agentes penitenciários com os detentos que freqüentam a escola da Penitenciária, capacitação dos professores para um ensino voltado para a realidade prisional e uma melhor interação entre todos que fazem a educação.

 Melhorar o relacionamento e o convívio entre os agentes penitenciários, detentos e professores com cursos de humanização e atividades recreativas e de interação.

A educação se constitui em um dos meios eficazes de recuperação e reinserção dos detentos na sociedade.

 

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000109
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170731.006028
Área do Conhecimento: 

ESTAÇÃO DIGITAL: O ACESSO À INFORMAÇÃO É FUNDAMENTAL PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO E PARA A PARTICIPAÇÃO EM SOCIEDADE

A evolução tecnológica é como uma bola de neve, isto é, cresce a cada dia, e a ausência desse conhecimento faz-nos distanciar gradativamente do mundo real. Os pais, alunos e profissionais da área acadêmica e outros profissionais pela educação de nossas crianças, vivem hoje uma grande preocupação: a necessidade de preparo técnico devido à presença marcante da tecnologia em nossas vidas seja nos shopping centers, nos bancos, nas residências e principalmente nas escolas. Imprescindível nos dias atuais o uso da informática no processo ensino-aprendizagem nas escolas e nas comunidades, não se concebe em pleno Século XXI que não possamos formar alunos sem os conhecimentos mínimos sobre as tecnologias da informática.

 

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000109
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170801.006027
Área do Conhecimento: 

A EDUCAÇÃO PRISIONAL COMO UM DOS INSTRUMENTOS DE RECUPERAÇÃO DE DETENTOS NA UNIDADE PRISIONAL DE BOM JESUS, ESTADO DO PIAUÍ, BRASIL

Esta dissertação tem por objetivo demonstrar um panorama atual da situação em que se encontra o sistema educativo que é administrado na penitenciária de Bom Jesus, Estado de Piauí, Brasil, tendo como primeira hipótese examinar o papel da educação dentro do "Programa de Recuperação" na política de transformação e recuperação do condenado. Como segunda hipótese o ensino ministrado na escola com base na realidade local do condenado. O desenho desse estudo é não experimental, transversal, do tipo descritivo. Através da análise de diversos documentos, das experiências com os estudantes e de uma recopilação dos questionários com professores, detentos e gerente a respeito do sistema implementado que é o modelo de política pública para a educação aplicada na escola da prisão de Bom Jesus, tendo uma história recente, buscamos entre outras questões, compreender o papel que desempenha na educação básica na penitenciária, buscando descrever e analisar a relação entre a educação escolar e a recuperação dos presos. Ademais, o trabalho se determina a examinar a educação desenvolvida na prisão com base no próprio exame interno que foi realizado com os condenados a respeito do programa educativo de que eles participam. Dada a especificidade da questão e a atenção a escassa produção de literatura científica neste campo de estudo, acreditamos que este material pode contribuir para levantar a discursão no âmbito da educação penitenciária que existe até hoje, na realidade, a recuperação dos condenados tem sido uma preocupação para os advogados, cientistas sociais e psicólogos, quando deveria ser uma preocupação de toda a sociedade.

 

Tipo de Trabalho: 
Dissertação
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000109
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170719.006018
Área do Conhecimento: 

A IMPORTANCIA DA EDUCAÇÃO PRISIONAL NA RECUPERAÇÃO NO MERCOSUL, UNIDADE PRISIONAL DE BOM JESUS, ESTADO DO PIAUÍ, BRASIL

O tratamento reeducativo é o termo técnico usado no Direito Penitenciário, na Criminologia Clínica e na Legislação Positiva da ONU. Segundo a concepção científica, o condenado é a base do tratamento reeducativo e nele observa-se: sua personalidade, através de exames médico-biológico, psicológico, psiquiátrico; e um estudo social do caso, mediante uma visão interdisciplinar e com a aplicação dos métodos da Criminologia Clínica. É ponto de união entre o Direito Penal e a Criminologia. Com efeito, o tratamento compreende um conjunto de medidas sociológicas, penais, educativas, psicológicas, e métodos científicos que são utilizados numa ação compreendida junto ao delinquente, com o objetivo de tentar modelar a sua personalidade para preparar a sua reinserção social e prevenir a reincidência.

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000109
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170712.005992
Área do Conhecimento: 

AS CONTRIBUIÇÕES DAS NOVAS TECNOLOGIAS PARA AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO CAMPO EDUCACIONAL E NA PERSPECTIVA DA PSICOPEDAGOGIA.

Na contemporaneidade o emprego das tecnologias nas instituições de ensino se propaga nesse panorama do século XXI, porém, não é de agora que pensadores e pesquisadores vem discutindo sobre o assunto. Com o aumento da globalização, a tecnologia tende a ser introduzida no cotidiano trazendo consigo subsídios e conhecimentos por meio do computador e da internet. O presente trabalho discutirá as contribuições das novas tecnologias na prática pedagógica. Foi feito uma revisão bibliográfica sobre o assunto, investigou-se o porquê do seu emprego, fundamentando na problemática de se impetrar um processo de desenvolvimento cognitivo que seja dinâmico e desafiador aos aprendizes explorando suas múltiplas competências. Qual é o papel do educador nesse método, onde se torna importante a sua formação continuada e o seu papel diante dessa explosão tecnológica. Com este trabalho foi possível averiguar a importância das tecnologias como ferramenta pedagógica na sociedade e ainda a importância da formação do professor. Palavras-chave: Tecnologia. Computador. Informática. Professor.

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000109
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170714.005989
Área do Conhecimento: 

EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS NOS ESTÁGIOS CURRICULARES SUPERVISIONADOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL.

O presente artigo tem como objetivo relatar as experiências vivenciadas nos Estágios Curriculares. Os estágios foram realizados em duas escolas municipais de Educação Infantil, localizadas no município de Juara (MT), uma das referidas escolas atende pré-escola somente turmas parciais de pré I e pré II, e a outra atende creches, sendo turmas parciais e integrais, como berçário I e II e maternal I e II. O Estágio Curricular Supervisionado na Educação Infantil se iniciou no 3 semestre de pedagogia no ano de 2012 e finalizou no 6 semestre de pedagogia no ano de 2014.

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000109
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170719.005984
Área do Conhecimento: 

Páginas

Subscrever Ciências Humanas