Enfermagem

CONCEITO, DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DA ROTURA UTERINA: UMA ABORDAGEM REVISANDO A LITERATURA.

A rotura uterina é uma solução de continuidade do músculo uterino que pode ocorrer após 28° semana gestacional e durante o trabalho de parto podendo ser classificada em completa e incompleta. Ela é considerada umas das mais graves complicações em obstetrícia podendo ocasionar morte materna e morte fetal intra-uterina. Neste estudo aprofunda-se uma revisão da literatura, incluindo manuais do Ministério da Saúde, sobre complicações obstétricas com ênfase em Rotura Uterina: Fatores predisponentes, quadro clínico, diagnóstico e tratamento. Para isso foi realizado procura nas bases de dados Scielo (Scientific Electronic Library) e BVS-Ministério da Saúde (Biblioteca Virtual da Saúde) aceitando como válido o período de 2000 à 2014, com as seguintes palavras-chave: Ruptura uterina, complicações na gravidez e hemorragia uterina. Foi verificado que quando se fala da rotura uterina, a visão de seu conceitual, processos precedentes, curso clínico e conduta a ser tomada destaca-se como instrumento diferencial na assistência, podendo mudar uma assistência profissional mecanizada por uma tomada de decisão compromissada e fundamentada em um conhecimento que condiz sucesso à prática. Tem destaque a detecção inicial e a atenção humanizada, indicando qualidade da assistência obstétrica prestada, visando o bem a quem se destina.

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000106
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170417.005811

MORTALIDADE MATERNA NO PERÍODO GRAVÍDICO PUERPERAL NA CIDADE DE SANTARÉM-PA DE 2009 A 2011

O foco principal deste estudo é o levantamento das principais causas de mortalidade materna na cidade de Santarém – PA, no período de 2009 a 2011, identificando e analisando os critérios de classificação das mesmas e estatisticamente suas causas detectadas. A pesquisa foi do tipo quantitativa, através do levantamento estatístico documental feito pelas informações disponibilizadas pelo banco de dados do Sistema de Mortalidade Materna pela Secretaria Municipal de Saúde. O estudo foi de extrema valia na medida em que cumpriu com os seus objetivos, contribuindo grandemente para a compreensão deste processo, tendo em vista a reflexão e discussão de dados que possam apontar caminhos à diminuição das mortes e maior preparo dos serviços assistenciais a mulher no ciclo gravídico puerperal, problema de saúde pública de relevante importância.

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000098
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2016
Nº Certificado: 
20161230.005501

IMPLICAÇÕES DA SÍNDROME DE BURNOUT NA VIDA DOS TRABALHADORES DA ÁREA DE ENFERMAGEM

Objetivou-se descrever as implicações da síndrome de burnout na vida dos trabalhadores da área de enfermagem, entender o que é síndrome de burnout e diferenciá-la de stress. Trata-se de um estudo bibliográfico realizado nas bases de dados LILACS e SCIELO bem como em livros, legislações e manuais. Dos 75 artigos encontrados foram selecionados apenas os que atenderam aos objetivos a que se propôs esse trabalho, os publicados nos períodos de janeiro de 2009 a dezembro de 2013, que apresentavam texto completo e os publicados em língua portuguesa brasileira. Quanto aos manuais, legislações e livros foram encontradas 2, 1 e 17 obras, respectivamente. Destas foram utilizadas apenas as publicadas em português que abordavam o conteúdo em questão, independente do ano de publicação.  A síndrome de burnout, detectada através do MBI, é o resultado da cronificação do stress prolongado no meio laboral. O stress se diferencia da doença por se manifestar na presença de apenas um estressor, já o burnout, de uma gama deles como: a baixa remuneração, as jornadas prolongadas de trabalho e o excesso de tarefas. As implicações para a enfermagem são inúmeras, visto que os trabalhadores passam a apresentar um quadro sintomatológico físico-comportamental-psíquico-defensivo, porém, não denotando que o trabalhador possa apresentar todo ele, pois são levados em consideração os fatores individuais e ambientais. A síndrome tem cura e pode ser evitada, basta apenas que o trabalhador mostre-se sempre com auto-estima elevada, diminua a intensidade do trabalho, saiba diferenciar competência de competição e mude o estilo de vida.

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000074
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2015
Nº Certificado: 
20151026.004899
Área do Conhecimento: 

EQUIPE ASSISTENCIAL E SUA EXPOSIÇÃO A RISCOS OCUPACIONAIS: UM OLHAR A ENFERMAGEM.

O presente estudo teve como objetivo identificar os riscos ocupacionais ocorrido pela equipe assistencial de enfermagem, bem como investigar a ocorrência, os tipos e as causas dos acidentes ocupacionais e indicar medidas de biossegurança entre eles. Trata-se de uma revisão da literatura volta para equipe assistência de enfermagem, foram selecionados vários artigos sobre o tema que foram acessados de Agosto à Outubro de 2014. Os trabalhos selecionas das bases de dados eletrônicos no período de 2002 à 2012, foram lidos e posteriormente excluídos os que não eram relacionados ao assunto. Conclui-se que os equipamentos de proteção individual tornam o maior aliado dos profissionais que estão expostos constantemente a situações de riscos no ambiente de trabalho, avental, botas, luvas e óculos garantem a saúde e geram uma série de outros benefícios aos colaboradores que fazem o uso desses materiais e permitem a realização de um trabalho mais seguro com menos acidentes e mantêm a saúde física e mental do trabalhador, refletindo assim, no seu desempenho na empresa.

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000071
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2015
Nº Certificado: 
20150827.004873
Subscrever Enfermagem