Epidemiologia

DENGUE NO MUNICÍPIO DE FRANCA, SP: UMA QUESTÃO DE SAÚDE COLETIVA

Arbovírus (Arthropod-borne vírus) são assim designados pelo fato de parte de seu ciclo de replicação ocorrer nos insetos, podendo ser transmitidos aos seres humanos e outros animais pela picada de artrópodes hematófagos. Pela potencial ameaça que significam à saúde humana no Brasil, os arbovírus mencionados neste trabalho merecem especial atenção no que refere ao estabelecimento/consolidação de programas compulsórios de controle e combate eficazes das doenças em humanos e animais domésticos. Objetivando o conhecimento, o presente trabalho tem como finalidade apresentar um panorama da situação epidemiológica e ações tomadas para combate da dengue, arboviroses mais recorrente no município de Franca, estado de São Paulo. Para realização deste, foi pesquisado em bancos de dados e em sites oficiais da Prefeitura Municipal de Franca e da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. O desconhecimento ou desvalor clínico dado às formas mais frequentes de dengue como doença febril leve, não diferenciada e inespecífica, sobretudo nas crianças e durante os períodos de escassa atividade ou de transmissão esporádica; e ressalta a importância da vigilância do aumento de casos febris de causa indeterminada e síndromes víricas fatais. A gestão em saúde do município de Franca preconiza o atual programa de controle das doenças, no caso específico a dengue, envolvendo principalmente, o controle do vetor. Essa gestão coloca que todas as ações e serviços funcionem de uma maneira integrada e em conjunto, valorizando a integralidade dos serviços e o uso da informação epidemiológica como fonte relevante para o planejamento das ações sanitárias em todas as esferas do Sistema Único de Saúde (SUS), assim como preconiza o Ministério da Saúde. 

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000107
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170418.005857
Subscrever Epidemiologia