Epistemologia

O PARADIGMA EMERGENTE E O SER DE PROBABILIDADES

Este trabalho surgiu do desassossego ao ouvir que temas que abordam espiritualidade não são científicos e, portanto, não há relevância no meio acadêmico. A partir de uma urgência pessoal em discordar de tal afirmação, o estudo se inicia com indagações: o que é científico? O que é ciência? Há outros saberes negligenciados e marginalizados que podem contribuir para compreender o ser humano de modo integral, multidimensional e constituído de possibilidades? E, até que ponto as ciências necessitam desses outros saberes para que os mesmos não sejam aleijados? Nesta perspectiva, pesquisadores questionaram, levantaram hipóteses e buscaram resultados de diversas formas. Alguns foram atrás de respostas através de investigações detalhadas e outros contribuíram com a ruptura de velhos paradigmas. A respeito do científico e do ser humano, descobriram que o conhecimento não se encerra e não se limita, bem como que as certezas científicas são probabilidades. Momentaneamente concluíram a ausência de respostas e a presença de limites nas ciências em geral. Tais limites são os pilares do Paradigma Emergente, com diversos representantes, cuja temática é discorrida no presente artigo com o objetivo de informar que há outros caminhos que os conhecimentos podem percorrer.

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000078
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2015
Nº Certificado: 
20160118.005190
Área do Conhecimento: 
Subscrever Epistemologia