Psicologia

A PSICOLOGIA NA RESSOCIALIZAÇÃO PRISIONAL

O presente artigo pretende demonstrar a importância da psicologia na ressocialização prisional. O psicólogo no contexto prisional com uma atuação diferenciada do que sempre foi historicamente, pois, sabe-se que essa área está exigindo atividades mais marcantes e mais significantes para a pessoa presa, percebe-se, portanto, a necessidade de um estudo mais criterioso nas formas de atuação buscando realmente fazer a diferença em todos os aspectos que lhe forem acometidos, tentando sempre ir além do normal, do simples e do insignificante. O trabalho do psicólogo dentro do sistema prisional é indispensável tendo em vista que sua atuação é voltada para a garantia dos direitos humanos, priorizando a autonomia do sujeito e procurando fazer com que a LEP seja efetuada de fato para que se possa ter um resultado satisfatório.

 

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000114
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20171027.006178
Área do Conhecimento: 

CONSUMIR PARA SER: REFLEXÕES SOBRE CONSUMO E ADOLESCÊNCIA A PARTIR DE PRÁTICA DE EXTENSÃO

O projeto de extensão “Consumo e identidade na adolescência” contemplado pelo PAEx/UEMG e realizado ao longo de 2016, é vinculado ao curso de Psicologia da Universidade Estadual de Minas Gerais – unidade Ituiutaba e objetivou discutir com o público adolescente sobre influências sofridas na construção da identidade e no processo de consumo. A justificativa centra-se em dois pilares: a extensão enquanto uma ferramenta de desenvolvimento para a formação do aluno de graduação e a relevância do tema proposto diante da realidade social dos adolescentes.  O excessivo consumo é parte importante da realidade social da contemporaneidade e, por isso, faz-se urgente a promoção de reflexões sobre as práticas consumistas entre os jovens na tentativa de conscientizá-los sobre o quanto sua formação identitária é marcada pela necessidade de inserção num grupo de consumo. O projeto atingiu uma escola pública e uma escola privada de Ituiutaba. Ao todo, dezenove turmas de ensino médio foram atingidas. Três encontros com oficinas lúdicas foram realizados em cada turma e, em cada encontro, abordou-se principalmente um tipo específico de consumo: produtos/marcas, tecnológico e ideológico e, por último, o consumo de substâncias psicoativas. O bom envolvimento com as atividades e as falas levantadas em cada oficina demonstraram que, de forma geral, os adolescentes conseguiram pensar de forma crítica sobre as próprias escolhas de consumo. 

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000112
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170928.006125
Área do Conhecimento: 

DIFICULDADES DO FAMILIAR-CUIDADOR DE IDOSO COM ALZHEIMER: REFLEXÕES A PARTIR DE REVISÃO SISTEMÁTICA

Estudo de revisão sistemática de literatura com o objetivo de realizar um levantamento da produção bibliográfica na base de dados Scielo dos últimos cinco anos a respeito da doença de Alzheimer e suas implicações no contexto familiar, a fim de verificar o caráter de tais publicações e discutir a respeito do papel do familiar-cuidador e suas dificuldades. Para realização da pesquisa foram cruzados os descritores “Alzheimer” e “família” e encontrados dezesseis trabalhos na base de dados Scielo, dos quais três não foram utilizados por não corresponder aos critérios de inclusão desta pesquisa. Quanto ao caráter das publicações, não se verificou diferenças significativas quanto à preferência pela metodologia. Um dado relevante é que apenas um dos artigos foi publicado por profissionais graduados em Psicologia propriamente, sendo a maioria dos trabalhos publicado por profissionais da enfermagem. Os resultados apontaram que os desafios e dificuldades mais recorrentes do familiar-cuidador estão relacionados ao desgaste físico, mental e emocional e que a responsabilidade recai, principalmente, sobre um dos membros da família, sendo predominante do sexo feminino, assim como aponta a atual literatura. Conclui-se que são muitos os desafios do familiar-cuidador, pois a intensificação do convívio com o idoso portador da Doença de Alzheimer traz impactos a nível mental, emocional e social, desse modo, torna-se imprescindível a preparação de equipes multiprofissionais para auxiliar estes indivíduos na reorganização do contexto familiar.

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000112
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170925.006123
Área do Conhecimento: 

O USO DO TREINAMENTO PARENTAL COMO TÉCNICA INTERVENTIVA EM CRIANÇAS COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA (TEA) NA CIDADE DE TERESINA, ESTADO DO PIAUÍ, BRASIL

Investigar a utilização do treino parental no processo terapêutico de crianças com Transtorno do espectro autista (TEA) por terapeutas cognitivo-comportamentais na cidade de Teresina. Método: Entrevistas individuais com terapeutas que atendem crianças com TEA. Resultados: constatou-se que é possível obter melhores resultados no tratamento de crianças com TEA através da utilização do treino parental, aliado ás técnicas comportamentais. Conclusão: Constatou-se que, segundo os terapeutas, o treino de pais é essencial para tratamento de crianças com TEA.

 

 

 

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000110
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170823.006065
Área do Conhecimento: 

RELATO DE EXPERIÊNCIA: UMA ESTUDANTE DE PSICOLOGIA, A ADESÃO E OS MECANISMOS DE DEFESA DE DOENTES CRÔNICOS

RESUMO

Minimizar as doenças crônicas da população em geral faz parte das estratégias de saúde. O objetivo deste relato de experiência é mostrar com a ótica subjetiva da Psicologia e da vivência como acompanhante de doente crônico em uma enfermaria, como se dá a adesão e de que modo agem os mecanismos de defesa inconscientemente de pacientes crônicos, burlando o tratamento médico. Os métodos utilizados foram a observação não participante e o levantamento bibliográfico, para evidenciar as modalidades de adesão de pacientes crônicos hospitalizados e como agem os mecanismos de defesa sob a perspectiva psicanalítica. A adesão de pacientes crônicos hospitalizados se dá em leito de maneira desejosa e havendo o mecanismo de fuga da situação aniquiladora da doença. A adesão de fato em leito é como uma preaceitação e circunstância para uma mudança e continuidade das prescrições médicas fora do hospital. É possível identificar por meio das repetições de cada paciente, como agem os mecanismos de defesa, sabotando inconscientemente o tratamento e traçar de maneira terapêutica junto aos doentes, táticas para deslocar e sublimar para objetos sadios os comportamentos destrutivos, podendo a equipe auxiliar o paciente a se adaptar ao tratamento, o defrontando com as possibilidades, minimizando a redução da qualidade de vida e evitando mortes antes dos 70 anos.

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000112
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170922.006014
Área do Conhecimento: 

ASPECTOS PSICOLÓGICOS APLICADOS A PRÁTICA DO BASQUETEBOL

O atleta de basquetebol passa por muita cobrança por parte da imprensa, torcida, família, do próprio time e principalmente de si mesmo para obtenção do sucesso neste esporte. Este estudo tem como o objetivo buscar nos referenciais teóricos, subsídios condizentes aos fatores psicológicos que estão inseridos no cotidiano dos atletas de basquetebol, e se esses aspectos possuem o mesmo grau de relevância, relacionados aos treinamentos táticos e técnicos. Esta preparação tem sua importância na conquista de resultados positivos (vencer) ou negativos (perder). Os aspectos que podem ser identificados nos jogos do basquetebol são motivação, dedicação, determinação, concentração, ansiedade, medo e liderança, estes são os mais nítidos e apontados por especialistas da área. Por meio de uma pesquisa indireta buscou-se verificar a importância destes aspectos aplicados a prática do basquetebol por meio de uma análise de referenciais bibliográficos, em um exame sobre os aspectos psicológicos aplicados dentro da prática do basquetebol de alto nível, sendo esse pré-competitivo, competitivo e pós-competitivo. Todos esses aspectos deveriam ser trabalhados e desenvolvidos nas equipes, contemplando os objetivos e metas traçadas para as equipes participantes de competições amadoras ou profissionais dentro do basquetebol. Observou-se, por meio do estado da arte, a relevância do treinamento psicológico em consonância coma os processos de preparação tática, técnica e física, realizada pelo profissional de psicologia do esporte junto a equipe.

 

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000108
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170704.005978
Área do Conhecimento: 

INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS E O ESPORTE DE ALTO RENDIMENTO: CONSIDERAÇÕES SOBRE O ATLETISMO

Nesse ensaio, procuramos discorrer a partir de referenciais teóricos sobre o Atletismo, modalidade esportiva de alto rendimento, relacionando-o com a Teoria das Inteligências Múltiplas, com a intenção de estabelecer analogias multidisciplinares entre vários conhecimentos que envolvessem a Educação, a Educação Física, a Psicologia do Esporte, as Inteligências Múltiplas, e os Esportes Individuais. Nesse sentido, nos respaldamos na Teoria das Inteligências Múltiplas de Gardner (1994) um cientista cognitivo e estudioso das inteligências, que apontou a existência de oito inteligências, dentre elas a Inteligência Corporal Cinestésica, a qual está pautada na resolução de problemas por meio de movimentos do corpo, e na sincronização da expressão corporal. Com isso podemos dizer que o a prática de uma determinada área do esporte, sendo essa de alto rendimento ou não, tem significância na resolução efetiva dos problemas, e que essa área de atividade apresenta interações entre a manifestação da inteligência nos atletas que a pratica.

 

 

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000109
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170714.005977
Área do Conhecimento: 

CORPO EXPOSTO, O PROCESSO DE ESPORTIVIZAÇÃO E DESEMPENHO HUMANO NA CONTEMPORANEIDADE

Esse ensaio tem como objetivo relatar alguns pontos relacionados aos estudos sobre a Psicologia do Esporte, numa articulação com o papel que desempenha a Psicologia nesse âmbito, no sentido de realizar uma reflexão em torno da tensão do corpo, o processo de esportivização e desempenho humano na contemporaneidade. A noção de corpo pode ser definida como uma imagem externa, percebida como os subsídios expressivos e falantes desse corpo. Perfazendo a vida cotidiana das pessoas, seja de forma direta ou indireta, contemplando um quadro quase de hipnose da plateia expectadora que comparece aos estádios ou arenas, diante ao suor que escorre no corpo atlético devido ao esforço realizado ou mesmo pelos noticiários dos meios de comunicação e midiáticos que evidenciam os corpos esculturais dos esportistas, estudiosos vêm se debruçando sobre as configurações sociais e individuais provocadas pelo esporte como fenômeno de massa, principalmente a percepção do corpo esportivo exposto. O esporte também, de forma singular, possui outra roupagem, sendo essa mais singela, porém constitui um preenchimento da vida social de inúmeras pessoas, pois ao observarmos os finais de semana, identificamos que por meio da prática esportiva, seja para o lazer, seja pelas caminhadas, ciclismos, passeios de skate, patins, de vela ou bicicleta, ou mesmo futebol como prática de lazer, ocorre uma interação popular.  E, posto que o crescente ampliar dos encontros, dos lugares percorridos diariamente pelo corpo esportivo, a esportivação da vida social, no tempo em que atenuou algumas diferenças antes muito demarcadas no que se refere ao corpo esportivo, culminou na permanência do “apagamento ritualizado das manifestações somáticas” individuais, autônomas, do sujeito histórico. Esse escandalizar em torno da utilização dos corpos esportivos como vitrines de um ideal corporal pretendido, parece tentar preencher uma larga margem dessa exposição desejável para a indesejável, até o esquadrinhamento e violação desse corpo, das mais variadas formas, como a exigência de constatação de sexualidade, a verificação de drogas no corpo esportivo pelo controle antidoping, dentre outros. São esses paradoxos que se deseja apontar com essas reflexões sobre a tensão do corpo esportivo exposto, é ponderar sobre esse, que ora denota a importância do corpo como sujeito, na sua completude, íntegro, integral, e ora considera esse corpo esportivo como objeto, na busca constante por modelos de corpos propostos, idealizados, impostos e requisitados pela sociedade contemporânea.

 

 

 

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000108
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170704.005976
Área do Conhecimento: 

FATORES MOTIVACIONAIS RELACIONADOSA PRÁTICA DO TÊNIS AMADOR

O objetivo desse trabalho é investigar, por meio de um questionário, quais as contribuições psicológicas e ambientais que influem na motivação do atleta amador para a prática do tênis de campo na cidade de Uberlândia/MG. O tênis de campo, atualmente, tem encontrado um público adepto ao esporte que vem seguindo uma prática regular dessa modalidade. No entanto as questões de ordem psicológica, no caso específico os fatores motivacionais, nos chamaram a atenção, do por quê essas pessoas praticar o tênis de campo e por qual motivo permanecem nessa prática. A motivação no esporte relaciona-se aos fatores pessoais (intrínsecos) e aos fatores ambientais (extrínsecos), em que ambos possuem relevância salutar no resultado final. Sendo assim, essa investigação deu-se a partir da aplicação de um questionário para 70 atletas amadores na cidade de Uberlândia,com idade entre 20 e 75 anos, cujo tempo de prática constitui-se acima de um ano e seis meses. Utilizou-se como instrumento, o Inventario de Motivação à Prática Regular de Atividade Física. Os resultados informaram que os fatores relacionados à saúde foram os mais relevantes pela maioria dos atletas. Esse apontamento pode ser explicado pelo conhecimento por parte desses esportistas, de informações relacionadas a uma melhor qualidade de vida. As respostas menos escolhidas estavam relacionadas a sensação do repouso, o que para esses atletas amadores poderia configurar em um paradoxo defronte a movimentação exigida pela prática do esporte.

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000108
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170704.005974
Área do Conhecimento: 

FINITUDE, PACIENTE TERMINAL E A RELAÇÃO COM A FAMÍLIA E EQUIPE INTERDISCIPLINAR

Observa-se na atualidade que as pessoas, de modo geral, não conseguem lidar com o fenômeno da morte, principalmente quando diz respeito a seus familiares. Nessa iminência, têm relegado aos hospitais seus entes queridos, ou seja, hoje as pessoas morrem mais nos hospitais do que em casa, e desde aí se percebe a grande negação da dor humana atualmente. Diante dessa situação, nosso objetivo nesta revisão bibliográfica é descrever aspectos psicológicos pautados na relação da equipe interdisciplinar com pacientes terminais e familiares sobre os estágios emocionais diante da morte e o morrer. Destacamos a importância da atuação do psicólogo em questões delicadas como estas, onde a situação de terminalidade existencial afeta tanto a equipe, quanto a família e o próprio paciente, sendo prudente que exista um profissional específico para interferir nestas relações, visando melhor comunicação e suporte emocional num momento delicado como este.

 

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000105
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170411.005880
Área do Conhecimento: 

Páginas

Subscrever Psicologia