família

FINITUDE, PACIENTE TERMINAL E A RELAÇÃO COM A FAMÍLIA E EQUIPE INTERDISCIPLINAR

Observa-se na atualidade que as pessoas, de modo geral, não conseguem lidar com o fenômeno da morte, principalmente quando diz respeito a seus familiares. Nessa iminência, têm relegado aos hospitais seus entes queridos, ou seja, hoje as pessoas morrem mais nos hospitais do que em casa, e desde aí se percebe a grande negação da dor humana atualmente. Diante dessa situação, nosso objetivo nesta revisão bibliográfica é descrever aspectos psicológicos pautados na relação da equipe interdisciplinar com pacientes terminais e familiares sobre os estágios emocionais diante da morte e o morrer. Destacamos a importância da atuação do psicólogo em questões delicadas como estas, onde a situação de terminalidade existencial afeta tanto a equipe, quanto a família e o próprio paciente, sendo prudente que exista um profissional específico para interferir nestas relações, visando melhor comunicação e suporte emocional num momento delicado como este.

 

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000105
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2017
Nº Certificado: 
20170411.005880
Área do Conhecimento: 

INDENIZAÇÃO POR ABANDONO AFETIVO: LEITURA BIBLIOGRÁFICA E JURISPRUDENCIAL SOBRE A TEMÁTICA.

O presente artigo tem como objetivo geral mostrar através da instituição da família e da dissolução do vinculo matrimonial, os prejuízos que podem ser causados por tal dissolução.  A situação dos filhos em caso de eventual divórcio, o direito de exercício de visita aos filhos por esses pais separados, o abandono afetivo, e a possibilidade de indenização por parte dos abandonados, também serão apresentados. A metodologia utilizada para realização deste trabalho foi a revisão bibliográfica, utilizando também a interpretação pessoal por parte dos autores para a dedução de todos os meios utilizados, para a realização do trabalho. Pode-se concluir que na criação dos filhos não se pode faltar o amor e o carinho, cabendo aos lesados o pedido de indenização por abandono afetivo.

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000082
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2016
Nº Certificado: 
20160330.005305
Área do Conhecimento: 

O PROCESSO DE CONSTITUIÇÃO VINCULAR EM CRIANÇAS INSTITUCIONALIZADAS

O presente trabalho tem como objetivo principal descrever as repercussões que podem ser geradas em função do rompimento ao vínculo entre a criança e o ambiente familiar, levando-a a necessidade de cuidados em instituições de acolhimento. Trata-se de um estudo qualitativo, baseado em revisão bibliográfica, no referencial teórico da psicanálise winnicottiana. O vínculo familiar é primordial para um desenvolvimento e constituição da personalidade da criança e relaciona-se aos primeiros contatos que esta vivenciará. Porém, questões relacionadas à negligência, abandono e violência familiar levam a institucionalização de crianças e adolescentes, provocando a ruptura vincular, impactando no desenvolvimento. O abrigo tem como função a proteção integral do sujeito acolhido, mas, caso não preze pela individualidade de cada criança, poderá dificultar a formação de novos vínculos sociais. As repercussões em torno da ruptura do vínculo familiar, vão desde sentir-se rejeitado, culpado, sensação de não merecimento de afeto, além de questionamentos sobre sua história de vida.

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000095
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2016
Nº Certificado: 
20161227.005297
Área do Conhecimento: 

TRATAMENTO DA HIPERATIVIDADE INFANTIL EM IDADE ESCOLAR

Elaborado por meio de revisão de literatura, este estudo discorre sobre hiperatividade, suas causas e tratamento no âmbito escolar.  Nesse sentido, seu conteúdo analisa: dificuldades sofridas pelo portador do distúrbio em seu relacionamento familiar, escolar e social. Nos dias atuais, o uso de medicamentos, acompanhamento médico, psicológico e psicopedagógico, ajudaram na amenizar criança portadora de TDAH com hiperatividade. A criança com TDAH, em sala de aula, exige atenção do professor, sendo necessário que o mesmo seja apto para lidar com a criança saber trabalhar juntamente com os outros alunos, para que haja interação de ambos. Sabe-se que nem todos profissionais estão aptos e nem mesmo conhecem bem o transtorno para poderem trabalhar corretamente com os mesmos. Pais e escola devem unir-se, procurar ajuda especializada de profissional habilitado competente, orientação correta e eficaz, para que tal problema não tome dimensão ainda maior, levando a tríade criança-família-escola a um descontrole que possa prejudicar ainda mais futuramente os problemas emocionais, escolares e psicopedagógicos da mesma. O importante é entender que trata-se de um transtorno e não de uma doença,e para tanto devemos olhá-la de maneira diferente,usar diagnósticos e tratamentos diferenciados com intuito de amenizar os problemas de aprendizagem tão comum no indivíduo portador do distúrbio.

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000085
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2016
Nº Certificado: 
20160627.005265

A IMPORTÂNCIA DO COMPROMETIMENTO DA FAMÍLIA NA EDUCAÇÃO: PAIS OU RESPONSÁVEIS, FILHOS E PROFESSORES.

Com este estudo buscou-se analisar as dinâmicas ou estratégias utilizadas por parte da escola e da família, ou seja, qual a importância do envolvimento da família na educação e integração entre pais, filhos e professores na escola, contribui para o ensino aprendizagem dos alunos dos anos iniciais do ensino fundamental. A pesquisa foi realizada em uma escola da rede pública de ensino da cidade de JUARA-MT. Como aportes teóricos foram utilizados, (ARIÈS 2006), (MELLO, 2001), (PIAGET, 1996), (HILLAL, 1985), (SZYMANZKI, 2009), (MARCILIO, 2010), entre outros. Nesta oportunidade a abordagem metodológica adotada foi a da pesquisa qualitativa. Já como instrumento para a coleta de dados foi utilizado à observação participativa e questionários com perguntas semiestruturadas. Esta pesquisa foi desenvolvida em três etapas: a primeira constituiu-se no levantamento bibliográfico que permitiu melhor embasamento do tema investigado, a segunda consistiu na elaboração do roteiro de observação e levantamento dos dados por meio de questionários semiestruturados, configurou a pesquisa de campo por meio de observação participativa. Na terceira etapa ocorreu à sistematização e análise de todos os dados coletados. Com o desenvolvimento deste estudo foi possível compreender que a influência da família na educação e integração entre pais, filhos e professores na escola se constitui em um elemento fundamental no processo ensino/aprendizagem. Os princípios didáticos assumidos devem oportunizar aos pais o acesso à escola, incentivando-os para que proceda com auxílio nas tarefas de casa. Constatamos que há uma dedicação maior por parte dos alunos quando há preocupação dos pais para com eles. Destacamos a necessidade de ampliação de estudos e discussões acerca do papel da escola, e ainda do papel da família diante do grande desafio para conceder a escola maior qualidade no ensino aprendizagem, para formar cidadão com consciência crítica e articulada com a sociedade.

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000077
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2015
Nº Certificado: 
20151210.005113
Área do Conhecimento: 

A FAMÍLIA COMO CONTEÚDO NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL

O presente projeto pretende apresentar como está sendo trabalhado o conceito de família na escola de Educação Infantil, refletindo meios que favorecem o trabalho do professor em sala de aula como um auxílio, a mais, no processo de ensino-aprendizagem dos conteúdos. Este projeto de oficina pedagógica é requisito da disciplina de Fundamentos e Metodologia da Educação Infantil II como momento de formação, avaliação e reflexão da relação teoria-prática, vivenciados durante o semestre e coordenado pela Professora MS. Valéria Borba. O projeto foi elaborado levando em consideração a participação de alunos do 4° período do Curso de Pedagogia da Unidade Acadêmica de Educação/UAE, do Centro de Formação de Professores/CFP, da Universidade Federal de Campina Grande/UFCG, campus de Cajazeiras/PB. Desafiados pela exigência na elaboração deste projeto de oficina pedagógica é que elaboramos os seguintes objetivos: analisar como está sendo trabalhado o conceito de família na escola de educação infantil, reconhecer a importância da família como parte de sua formação como pessoa, resgatar o valor da família na sociedade, identificar as pessoas que fazem parte da família e reconhecer o papel de todos os membros no ambiente familiar. Ao observa a realidade, notamos que as práticas se constituem em vias de acesso que as escolas possuem para programar processos de integração e participação familiar que podem e devem ser organizados e executados pela escola. A iniciação das pessoas e sua inserção na cultura, nos valores e nas normas da sociedade começam a partir do convívio familiar. Para o desenvolvimento da personalidade das crianças e que elas venham se torna harmoniosa é necessário que seu ambiente familiar seja um ambiente de crescente progressão educativa.

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000071
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2015
Nº Certificado: 
20150729.004810

A POSSIBILIDADE JURÍDICA DA ADOÇÃO POR CASAIS HOMOAFETIVOS

O presente artigo analisa a possibilidade jurídica da adoção por casais homoafetivos à luz da Constituição Federal de 1988 e da nova Lei da adoção que alterou o Estatuto da Criança e do Adolescente, com enfoque nos princípios da igualdade, da não discriminação e do melhor interesse da criança.

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000067
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2015
Nº Certificado: 
20150120.004731

A INFLUÊNCIA DA AFETIVIDADE NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM E UM ENFOQUE SOBRE A PARTICIPAÇAO FAMILIAR NA ESCOLA.

Sabemos que a afetividade no ambiente escolar contribui para o processo do ensino e sabemos que o professor não apenas transmite conhecimentos, mas também quando ouvem os alunos ele estabelece uma relação mutua de troca de experiências e vivências, por isso é preciso um ambiente onde se expõe opiniões, dando respostas e fazendo opções pessoais alem de desenvolver a afetividade; e deve se discutir a capacidade do aluno, elogiar seu trabalho, reconhecer seu esforço e motivá-lo, são princípios que estimulam e fortalecem as formas cognitivas de ligação afetiva que se externam em aprendizado. Através de algumas experiências vividas com as crianças, percebo o quando são carentes, tanto em diálogo como em carinho. Parto assim para a construção da pesquisa tendo como embasamento teórico as relações de desempenho pedagógico e de afetividade no sentido de perceber a contribuição desses fatores no ensino aprendizagem. Este trabalho foi desenvolvido por meio de levantamento bibliográfico e tendo como aparato a observação na Escola Estadual Iara Maria Minotto Gomes no município de Juara, estado de Mato Grosso

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000058
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2014
Nº Certificado: 
20140807.003445
Área do Conhecimento: 

IMPORTÂNCIA DA INTEGRAÇÃO FAMÍLIA, ESCOLA, SUAS DIFICULDADES E SEUS ENCONTROS, DIÁLOGO NECESSÁRIO PARA A CONSTRUÇÃO DO SUJEITO E O FUTURO DO CONTEXTO ESCOLAR.

O presente estudo vem abordar a integração entre escola e família devido sua importância para a educação e o desenvolvimento humano. Serão apresentadas algumas reflexões sobre o envolvimento da família com a escola e algumas dificuldades implícitas nesta relação, seu impacto sobre a aprendizagem e desenvolvimento do aluno. Finalizado com a necessidade de uma integração efetiva e duradoura entre família e escola, respeitando as peculiaridades de cada Instituição e revalidando os benefícios desta parceria.

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000057
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2014
Nº Certificado: 
20140702.002541

A CONSTITUCIONALIDADE DA UNIÃO HOMOAFETIVA COMO INSTITUIÇÃO FAMILIAR

A sociedade brasileira têm passado por grandes transformações de cunho sociológico, buscando adequar as necessidades de cada gênero familiar, tendo encontrado um obstáculo quanto a constitucionalidade da família homoafetiva. Alguns julgados já aceitam a homoafetividade como instituição familiar e legislações infra-constitucionais tentam se adequar a essa nova realidade. Contudo, o abismo ainda existente entre a sociedade e a justiça pode ser alcançado pelo avanço social amparados de alguma forma nos entendimentos jurídicos.

Tipo de Trabalho: 
Artigo
Status: 
Publicado
Edição da Revista: 
000004
Volume da Revista: 
01
Ano: 
2011
Nº Certificado: 
20140430.001727
Subscrever família