Back to top

ESTUDOS BOTÂNICOS APLICADOS AO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NA CAATINGA: UTILIZANDO DADOS DENDROMÉTRICOS, FITOSSOCIOLÓGICOS E DO INVENTÁRIO FLORÍSTICO BUSCANDO APRESENTAR ALTERNATIVAS VIÁVEIS PARA A GESTÃO DE RECURSOS FLORESTAIS NATURAIS

Tipo de Trabalho 

Artigo

O Bioma Caatinga equivale a 11% do território nacional.  O extrativismo  sempre foi uma atividade intensa no Nordeste brasileiro. As consequências desse modelo extrativista predatório se fazem sentir principalmente nos recursos naturais renováveis da caatinga. Assim, já se observam perdas irrecuperáveis na diversidade florística e faunística, aceleração dos processos de erosão e declínio da fertilidade do solo e da qualidade da água pela sedimentação. O que se recomenda é o manejo sustentável, para que as plantas e os animais possam se reproduzir de modo satisfatório e em quantidades que permitam a autorecuperação do ecossistema. O presente trabalho consiste em apresentação do estudo realizado por Silva et al.(2013), que intitula-se Plano de manejo florestal sustentável da caatinga na região central do RN, confrontando-o à bibliografia já existente, visando contribuir como mais uma fonte relevante de informações sobre o bioma. Como resultado, obteve-se o inventário florístico contendo 2556 indivíduos distribuídos em 14 espécies, onde a espécie com maior abundância foi Catingueira (Caesalpinia pyramidalis Tul.). Os dados Fitossociologicos observados indicam que a estrutura horizontal da vegetação é formada por 07 espécies que totalizam 80,53% da frequência, 93,70% de abundância e 95,39% da dominância. Através do estoque florestal total pôde-se estimar a possível exploração de 15 talhões ou Unidades de Produção Anual (UPAs) por ano, totalizando 58.198,883 st, onde será explorado um talhão por ano. O Plano de Manejo Florestal Sustentável apresentou alternativas viáveis para a gestão de recursos naturais da Caatinga, além da geração de rendas e criação de empregos para a população local.