Back to top

FAZENDA CAPÃO DO BISPO: O ESQUECIMENTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO NO AGLOMERADO URBANO.

Tipo de Trabalho 

Artigo

Situada às margens da principal avenida que atravessa o bairro de Del Castilho e suas adjacências, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro, está um dos últimos exemplares da arquitetura colonial rural do Estado: a Fazenda Capão do Bispo. Este estudo busca-se apresentar a história da fazenda e discutir a alteração de sua importância na região e sua trajetória no contexto urbano imediato, principalmente no que se refere a usa importância como um bem a ser preservado. Originalmente sede de uma fazenda produtora de café, no início do século XVII, a propriedade passou por um processo de fragmentação devido às concessões de sesmarias e o crescimento da região central da cidade que induziram a população a migrar rumo à região rural. Tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1947. Após anos de tutela do IAB em 2011 houve a retomada de posse pelo poder público, o qual não promoveu ações de preservação até então. Em contrapartida a região continuou crescendo e a fazenda perdendo visibilidade no seu entorno. Busca-se então, como resultado deste trabalho, através da análise da Fazenda Capão do Bispo, demonstrar a importância de estabelecer zonas de preservação ao redor de bens tombados, associado com a necessidade de preservação da memória da cidade por parte dos administradores públicos.