Back to top

INCORPORAÇÃO DO RESÍDUO DE VIDRO PLANO EM CERÂMICA VERMELHA

Tipo de Trabalho 

Artigo

 O presente trabalho visa a avaliar a influência de diferentes teores de resíduo nas propriedades físicas e mecânicas de uma composição típica de cerâmica vermelha em substituição à areia, utilizando o resíduo proveniente da primeira etapa de fabricação de vidros, os quais posteriormente sofrerão a têmpera. Corpos de prova cerâmicos foram preparados com incorporações de 0 e 20% de resíduo. As amostras foram obtidas por extrusão, secas e queimadas em 800, 900, 1000°C em forno de laboratório. Foram realizadas análises das matérias-primas, dentre as quais se podem destacar as térmicas, morfológicas, físicas e químicas, e posteriormente foram realizados testes nas peças cerâmicas queimadas. As propriedades obtidas de queima foram a densidade aparente a seco, densidade relativa, absorção de água, retração linear a seco, retração linear de queima e tensão de ruptura à flexão. Os resultados obtidos demonstraram que tanto o aumento do teor de vidro quanto o aumento da temperatura influenciaram positivamente nas propriedades estudadas, além de que o vidro atuou de modo a reduzir a temperatura adequada de queima. O resíduo de vidro plano é, portanto, um elemento fundente altamente recomendado para o setor de cerâmica vermelha, pois pode ser incorporado em quantidades de até 20% sem efeitos negativos nas propriedades, otimizando a quantidade de resíduo, além de atuar positivamente nas propriedades estudadas, reduzindo custos energéticos e de matéria prima.